O caminho para sair da Poupança, e ter alternativas melhores e seguras para você começar a investir

Para muitos, dar os primeiros passos no mundo dos investimentos pode parecer assustador e intimidador. No entanto, começar a investir pode ser mais acessível e menos complicado do que se imagina.

Vamos explorar por onde começar ao ingressar no mundo dos investimentos e algumas alternativas de produtos financeiros seguros para iniciantes.

Antes de começar a investir, é essencial dedicar tempo à educação financeira. 

Entender os conceitos básicos de investimento, como risco e retorno, diversificação e horizonte de investimento, ajudará a tomar decisões mais informadas.

 

Entenda seu perfil de investidor, considerando sua tolerância ao risco, horizonte de investimento e objetivos financeiros. Isso ajudará a determinar quais tipos de investimentos são mais adequados para você.

Antes de investir em ativos de maior risco, é importante garantir que você tenha uma reserva de emergência para cobrir despesas inesperadas.

Normalmente, recomenda-se ter de três a seis meses de despesas em uma conta poupança ou fundo de liquidez.

 


 

E, aqui entra as alternativas para você ter nos seus investimentos de curto, médio, longo prazo, e estruturar suas reservas através da Renda Fixa.

Mas, sem precisar utilizar a velha caderneta de poupança, que em períodos de maior inflação você acaba perdendo poder de compra do seu dinheiro.

Veja quanto a poupança rendeu desde o início do Plano Real (1994) até 2021 em termos reais e nominais:

 

– Alternativas de Produtos Financeiro de menor Risco:

  1. Tesouro Direto:

O Tesouro Direto é uma opção popular para iniciantes, oferecendo títulos públicos do governo federal com diferentes prazos e tipos de remuneração. São considerados investimentos de baixo risco, especialmente os títulos Tesouro Selic, que remuneram de acordo com a taxa base da economia, e possui liquidez por parte do Governo.

 

  1. Certificados de Depósito Bancário (CDB):

Os CDBs são produtos de renda fixa oferecidos por bancos. Eles oferecem taxas atrelada ao CDI, que remunera os juros bancários, muito próxima a Taxa Selic, ou taxa de juros pré-definida.

E, são protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) em até R$ 250.000 por CPF e por instituição financeira, limitado a R$1.000.000,00 por CPF.

 

  1. Fundos de Investimento em Renda Fixa:

Os fundos de renda fixa aplicam recursos em títulos públicos, privados e outras modalidades de renda fixa.

São gerenciados por gestores profissionais e oferecem diversificação e liquidez, tornando-se uma opção interessante para iniciantes.

Mas, importante se atentar a liquidez do fundo, ou seja, o prazo de resgate para receber seu dinheiro, as taxas que serão pagas, e entender a política de investimentos desse fundo.

Para compreender se está de acordo com seu perfil de risco, pois, existem muitas alternativas no mercado.

 

Ao seguir os passos certos e considerar alternativas de produtos financeiros mais seguros e rentáveis, você estará no caminho certo para construir um futuro financeiro mais sólido, e abrir a mente para alternativas que aumentem seu capital ao longo do tempo.

Permitindo você realizar grandes sonhos, se planejar para qualquer imprevisto, ou para construir uma aposentadoria mais sólida.

 

Se você quiser aprender a investir, e tomar suas próprias decisões, conhecendo as oportunidades do Mercado Financeiro, alinhado com seus objetivos de vida.

Conheça a Mentoria Financeira Premium da Valley Invest, com uma orientação em organização financeira e investimentos, com duração de 2 meses e 6 sessões, para você já sair investindo.

 

Bruno Aragão.

atendimento@valleyinvest.com.br

No Instagram: @bruno.aragaos